Posts

Estruturando a logística da sua empresa

Mais do que nunca, as empresas necessitam estar em constante movimento para seguirem firmes, em um cenário extremamente competitivo e, aliado ao movimento, é fundamental algo que as destaque com eficiência. Para tal, um dos setores que proporciona esta eficiência é a logística.

Buscar não atrasar entregas/recebimentos, tem sido um dos diferenciais e pilares para o bom fluir do setor de logística. O atrasar a entrega de mercadorias, seja no abastecer seu estoque ou atender seu cliente, gerará inúmeros problemas como prejuízos financeiros, visão negativa de seu negócio perante o cliente ou até mesmo a perda dos mesmos.

Com os anos, o setor de logística tem evidenciado o quanto pode ser uma área estratégica. Sendo muito ampla, pode causar diversas dúvidas de como, quando, quem e qual a forma de melhor ajustar a sua, de acordo com seu produto. Como resultado, muitos a deixam em segundo plano.

Pensando nisso, destacamos alguns pontos a serem seguidos, que poderão lhe auxiliar a tornar sua empresa capaz de responder, cada vez mais rápido, as necessidades de seus clientes e as mudanças do mercado:

1.Analise o perfil e demanda dos clientes
2.Destaque as características do produto
3.Defina a localização que ficará o estoque
4.Opte entre uma logística própria ou uma contratada
5.Use a tecnologia a seu favor
6.Alie-se a bons fornecedores e a acompanhe o desempenho deles
7.Seja exigente quanto a cumprir prazos
8.Faça uma gestão constante no estoque
9.Monitore resultados

Baseando sua conduta nisso, a logística deverá sempre ser vista como uma questão delicada, que merece atenção, caso a empresa deseje manter a competitividade, crescimento e fidelização dos clientes.

Com as festas de final de ano chegando, férias coletivas das empresas batendo a porta, aproxima-se também períodos com voos lotados, navios com espaços restritos, clientes desesperados querendo deixar tudo em ordem para aproveitar alguns dias folga. Nesta hora conte com a Efficienza para presentear seus clientes com uma logística ainda melhor.

Não perca os prazos, podemos lhe ajudar a deixar seu final de ano ainda melhor para um 2018 espetacular. Consulte-nos.

Por Alana de A. Reis.

Transporte Rodoviário: modal em expansão

Nosso país possui uma das maiores malhas rodoviárias do mundo, aliado a isso, o Rio Grande do Sul está estrategicamente localizado, fazendo divisa com vários países, com os quais o Brasil possui acordos comerciais de incentivo, que tem permitido aumento da demanda e faturamento. Em agosto deste ano o Rio Grande do Sul exportou US$ 1,738 bilhão, sendo que entre os principais países de destino dos produtos gaúchos, destacaram-se nossos vizinhos: Argentina (10,01%) e Paraguai (2,64%), figura 01 e 03.

Fonte: http://www.ilos.com.br/web/transporte-rodoviario-de-cargas-no-brasil-mercado-atual-e-proximas-tendencias/

Além da nossa extensão territorial, outras qualidades são a simplicidade de seu funcionamento, a agilidade – que a partir de 28/06/2017) elimina a necessidade da apresentação de alguns documentos e reduz etapas e exigências governamentais -, de sua disponibilidade quando exigida pelo embarcador, além de: entrega na porta do comprador, custo menor de embalagem, menor manuseio da carga com consequente redução de risco de avarias e variedade de tipos de veículos.

No que tange a variedade dos equipamentos, eles podem ser, entre outros: caminhões, carretas, chassis de transporte de containers e bi-trens. Abaixo um pouco mais sobre os modelos mais comuns:

  • Caminhões: veículos constituídos em uma única parte que traz a cabine junto com o motor e a unidade de carga (carroceria), chegando a transportar até 23 toneladas.
  • Carretas: veículos articulados, onde possuem unidades de tração e de carga separadas.
  • Chassis: carretas de plataforma indicadas para carregamento de containers de 20 ou 40 pés.
  • Bi-trens: veículos articulados compostos de dois semi-reboques, que atendem até 40 toneladas de mercadorias.

O setor de logística tem mais de 30 parceiros, atuando em todo território nacional, com foco no mercado Argentino, Chileno, Peruano, Boliviano, Paraguaio, Uruguaio e Equador. Atualmente carregamos produtos dos mais variados segmentos: autoparts, cigarros, móveis, cargas secas em geral, refrigeradas, etc.

Diante de todos os atrativos deste modal, aproveite e contate a Efficienza para suas cotações rodoviária. Nossa equipe qualifica-se constantemente para melhor lhe atender.

Por Alana de A. Reis

Transporte de cargas líquidas: Isotank e Flexitank

Projetados para o transporte de variados produtos, os isotanks e flexitanks são de fácil utilização em qualquer modal. Comumente vistos no transporte de produtos como glicerina, óleos, gorduras, extratos, ácido, lubrificantes e produtos químicos, são bastante seguros e práticos para o transporte internacional, para fins de armazenagem e até mesmo no transporte doméstico.

O Flexitank (figura 01), bag resistente utilizada para embarque dentro de um contêiner de 20 DRY ou 40 HC, tem algumas limitações e cuidados especiais, podendo se tornar mais caro em alguns casos. O CNTR a ser utilizado normalmente deve ser vistoriado por um profissional experiente e não apresentar nenhuma deformidade, muitas vezes sendo necessário um CNTR padrão alimento para minimizar os riscos de avaria no bag ou no próprio CNTR, durante a estufagem. Após a seleção, é feito a montagem do flexitank dentro do contêiner (fitting). Estes processos vistoria, fitting, equipamento padrão alimento, além de, em virtude da densidade do produto ou restrição de armador, muitas vezes permitir um peso reduzido por equipamento, tornam o uso do flexitank mais caro do que o isotank.

Figura 1: Flexitank

Já o Isotank (figura 02), tipo de contêiner em formato cilíndrico, projetado para transporte de cargas líquidas (alimentos e químicos), traz diferentes benefícios para a logística. Atualmente o mercado brasileiro conta com uma gama de fornecedores e diferentes opções de origens de retirada dos equipamentos, aproximando cliente x fornecedor e permitindo maior agilidade ao processo. O uso de isotanks permite otimização de custo, uma vez que não existe o bag neste caso, consequentemente, risco de estourar, e com isso haver despesa de novo bag além de perda de produto. Ainda, o Isotank permite um volume maior de carregamento por tank. Enquanto um flexitank de 20mil litros, e um produto com densidade de 1,26 pode estufar até 25,20tons, um Isotank permite carregar até 27tons, salvo restrições de destino.

Figura 2: Isotank

Conforme tabela que segue, a movimentação de cargas líquidas vem crescendo no Brasil, o que torna de extrema importância a correta análise e decisão do equipamento, objetivando redução de custos e aumento na lucratividade. Muitas empresas não têm esse conhecimento e não sabem onde buscá-lo, abrindo um nicho promissor para os profissionais do nosso segmento.

Boas vendas!

Fonte: http://portal.antaq.gov.br/

Por Alana Reis.