Posts

Importação aérea: avião de passageiro ou cargueiro?

Cada vez mais as empresas estão procurando alternativas para minimizar os custos logísticos das operações de importação. Porém, quando a empresa necessita de embarque imediato, se dispõe a pagar tarifas mais altas (dependendo do volume e peso da carga) para fazer a importação aérea. Contudo, no decorrer do processo o agente de cargas informa que o frete irá alterar, pois a carga só poderá ser transportada em avião cargueiro. Se você já passou por isso deve ter se perguntado o que aconteceu.

Tudo começa quando a empresa solicita a cotação de frete. O Inside Sales analisa as dimensões e peso da carga, verificando se será possível embarcar em avião de passageiro a fim de reduzir os custos de transporte. Desta forma, a carga embarcará junto com as malas dos passageiros, levando em conta que, a prioridade de espaço na aeronave sempre será para alimentos, medicamentos e as bagagens. O que significa que, quanto mais lotados os voos, mais espaços nas aeronaves são ocupados pelas bagagens dos mesmos, restando menos espaço para bagagens desacompanhadas. Por este motivo, pode ocorrer de sua carga não conseguir embarcar no voo previsto, em virtude de não conseguir espaço.

Para embarque em avião convencional, há um limite de tamanho para carga aceito pela companhia aérea. Ultrapassando essas medidas, o embarque só será possível em avião cargueiro. Além disso, a maioria das cargas perigosas e/ou químicas que podem ser transportadas de forma aérea (como baterias) só poderão ser transportadas nesse tipo de aeronave. A rota será diferente, pois esse tipo de avião só opera em aeroportos específicos. Se sua carga precisa ir para Porto Alegre, será necessário fazer uma DTA (Declaração de Trânsito Aduaneiro) para a carga poder ser removida. O custo desse frete costuma ser mais caro do que o voo convencional.

Desta forma, sugerimos que a empresa sempre informe os dados exatos da carga (ou os mais aproximados possíveis) e se é considerada perigosa e/ou química no momento da cotação de frete. Isso irá ajudar a evitar sustos no momento da operação, que impactarão diretamente no custo do produto.

Caso precise de cotação de frete, seja de importação ou exportação, a Efficienza conta com um time especializado para lhe ajudar. Envie sua cotação para logistica@efficienza.com.br.

Por Natália Schiavenin.

Vá até o fim!

Olá!

Hoje eu gostaria de seguir a linha de raciocínio do meu artigo anterior, onde fiz uma reflexão sobre o preço que se paga para alcançarmos o que sonhamos.

Só hoje eu gostaria de falar sobre a disciplina!

Já se perguntou porque algumas pessoas começam muitas coisas e não terminam? A exemplo: cursos de idiomas, cursos de dança, estudos diversos, graduação, carteira de motorista, dietas, relacionamentos (porque não?”).
Quantos exemplos temos em nossas vidas e de pessoas próximas a nós que abandonaram projetos e sonhos?

A disciplina, neste caso, a falta de, pode ser a grande responsável por cada sonho de vida ou projeto iniciado e não acabado.

Todo (grande) sonho de vida começa pelo pensamento!
O desejo e crença de querer alguma coisa ou algum estado físico ou mental é a centelha, a chave que dispara a motivação. Eu desejo, eu acredito eu quero!
A motivação é a responsável por INICIAR a AÇÃO em direção ao objetivo, é o que tira o indivíduo da inércia.
A partir disso o que mantém o indivíduo em ação é unicamente a disciplina e a determinação!

Disciplina tem a ver com a constância para que o objetivo seja alcançado.
Disciplina é o combustível principal para que cada projeto, sonho ou objetivo não fique preso ao primeiro sinal de contratempo ou dúvida. Toda promessa passa pela prova do tempo, e todo desejo passa pelas provas e testes das incertezas e medos.

Será necessário que você faça coisas que não quer. Isso é constância e disciplina. Não estou falando aqui de fazer coisas que agridam os seus valores, somente de coisas que você não faz porque não gosta, porque está cansado, ou porque simplesmente tem qualquer outro motivo.

Quando você quer muito e deseja com todas as forças alcançar o seu objetivo, quem ou o que poderá pará-lo?
Sim, de antemão afirmo que o caminho não será fácil, mas garanto que é possível!

Nenhuma lágrima ou gota de suor é derramada em vão quando estamos lutando pelo que queremos, pelo que escolhemos para nossas vidas.
NINGUÉM pode te dizer o que VOCÊ PODE FAZER! Não dê ouvidos, não escute e não aceite quem não te apoia.

O verdadeiro poder está nas mãos de quem se arrisca e se joga de corpo e alma naquilo que acredita. Repita pra você mesmo: Eu quero, eu posso e eu vou conseguir! Não é nenhum mantra mágico, mas é poderoso.

Agora, se você não está conseguindo alcançar o seu objetivo, faça os ajustes necessários ou postergue um pouco o prazo para conclusão, não há nenhum problema nisso. Porém, se você por acaso resolver desistir dele, sinto muito em dizer, será porque você nunca quis de verdade!
Deixo também a dica deste vídeo com meu ídolo favorito e os poemas “Roll The Dice” e “The Laughing Heart” de Charles Bukowski.

Por Tiago Todeschini – Sales Executive.

Drones na Logística

Uma rede de conveniência do Japão, está utilizando drones para entregas de comidas e bebidas para o consumo rápido, vendidos via aplicativo na cidade de Minamisoma.

É uma aposta da empresa nas entregas de comida na cidade, pois em 2011 a região foi evacuada, após um vazamento nuclear na usina de Fukushima, a poucos quilômetros de Minamisoma. Os drones efetuam as entregas de comidas e bebidas, além de remédios para idosos e locais de difícil acesso na região.

O investimento da empresa em drones, é mais um de uma revoada de anúncios sobre o uso de tecnologia de veículos autônomos em logística.

Apesar de ser uma tecnologia revolucionária, ainda é muito cedo para afirmar o real impacto dos drones na logística.

A possibilidade de as empresas começarem a investir em drones para realizar entregas em tempo e custo menor é grande, pois figura como uma solução a muitos problemas logísticos, como: prazo, infraestrutura custo, acesso a regiões hostis e segurança.

Além das entregas, os drones também podem ser utilizados na logística para a segurança das cargas, para monitorar o tráfego, assim tendo a possibilidade de alterar a rota e a entregar acontecer mais rápida e também para monitorar a carga e descarga em armazéns e docas, além de questões ligadas as rotinas dos centros de distribuições.

Por Fernando Marques.

Aplicação da taxa EPCS pelos armadores

Os armadores implementaram a cobrança da taxa de EPCS (Emergency Port Congestions Surcharge) nos embarques de importação originários da Europa, devido a problemas operacionais que afetaram toda a cadeia logística em alguns países.

Com isto, comunicamos que repassaremos o valor efetivo da taxa de EPCS, conforme abaixo:

Embarques LCL EUR 6 w/m, de acordo com o trade que o armador aplicar a taxa;
Embarques FCL repassaremos o valor integral, de acordo com o trade que o armador aplicar a taxa;

A Copa do Mundo e sua interferência na logística Internacional

Principalmente em função da elevada taxa cambial percebeu-se um aumento no volume de processos de exportação. E, com este aumento de demanda, somados aos resquícios oriundos da greve dos caminhoneiros e ainda, ao acontecimento simultâneo dos jogos, a cadeia de logística internacional tem sentido alguns impactos.

O modal aéreo por sua vez, tem sido o mais afetado. Isso porquê a maioria das cargas embarcam em aeronaves de passageiros e não em voos exclusivamente cargueiros. Deste modo, como o número de passageiros alavancou em função da Copa e, visto que, a bagagem acompanhada tem preferência para embarque, a confirmação de espaços em voos imediatos para cargas desacompanhadas tornou-se mais difícil.

Nestes casos, conforme rege a lei de oferta x demanda, as companhias áreas tendem a priorizar o embarque de cargas comuns desacompanhadas cuja tarifa negociada para o voo em questão seja mais elevada.

E, decorrente deste aquecimento de mercado, o fluxo de embarques no transporte marítimo também surtiu efeito. Além de o frete para determinadas rotas estar bastante disputado, como é o caso dos Estados Unidos, alguns armadores têm declinado pedidos de booking em função da falta de espaços nos navios.

Por hora, a reestabilização dos processos logisticos é indefinida.

Por Fabíola Girotto.

Embarques FCL na importação: cuidados no momento da contratação.

Um dos primeiros aspectos que serão questionados pelo agente de cargas no momento da contratação de frete marítimo são os dados de carga. A partir destas informações será possível identificar se o embarque ocorrerá em container consolidado, com mercadorias de outros importadores, ou em container FCL (Full Container Load), podendo assim utilizar todo o espaço da unidade para si. Para a contratação de frete em container FCL, é importante que o contratante preste atenção em alguns pontos que farão diferença no decorrer do embarque e poderão evitar atrasos com a entrega de pedidos e custos extras. Além do valor de frete, o cliente deve analisar aspectos como o free time do container, tempo de trânsito e armador.

O free time é o tempo livre de custo para uso do container. Ele é contado a partir da atracação do navio no porto de destino e vai determinar por quanto tempo o container ficará de posse do importador. Essa informação é importante, principalmente, para empresas que farão seu desembaraço em zona secundária. Após o vencimento do free time, caso o container não tenha sido devolvido, o importador pagará ao armador uma taxa chamada demurrage, que é calculado por dia. Cada armador possui sua tabela de valores, negociada em dólar ou euro, aumentando assim o custo da operação caso haja a cobrança.

O tempo de trânsito, ou transit time, é o tempo que o navio demorará para chegar ao porto de destino. Em algumas origens os armadores não disponibilizam rotas diretas para o Brasil, sendo necessário fazer transbordo em outros portos para troca de navio. A empresa precisa analisar o prazo que deseja receber as mercadorias, não esquecendo que terá também o tempo de desembaraço da carga e transporte interno. Há casos em que os valores de frete são mais baixos para rotas com tempo de trânsito maior, como para rota China x Brasil com transbordo em Valência. A carga pode demorar mais de 60 dias para chegar no Brasil, por isso é importante analisar o tempo de trânsito além do valor de frete.

Outro aspecto importante é a escolha do armador. Alguns armadores são considerados de primeira linha, com serviços de maior qualidade e confiabilidade. O importador deve priorizar a contratação dos fretes com estes armadores para evitar surpresas com seu embarque.

Na Efficienza temos um setor especializado em logística internacional que analisa cada embarque procurando oferecer o melhor serviço aos seus clientes. Além disso, trabalhamos com os melhores agentes localizados nas mais diversas origens, procurando melhor atender os clientes. Na hora de contratar o frete internacional, procure a Efficienza.

Por Natália Schiavenin.

Overbooking no transporte marítimo

Estamos novamente vivendo um período de instabilidade quanto a falta de navios e containers. Isso tem trazido muitos prejuízos aos exportadores/Importadores, podendo prejudicar todo esforço das equipes de logística dentro dos agentes de carga. Estamos hoje vivendo dois fatores agravantes no transporte de carga internacional, as altas tarifas nos fretes e as cargas deixadas nos portos.

Nossas exportações têm aumentado a cada mês, ao passo que nossas importações estão reduzindo, ou no mínimo crescendo menos que as exportações. O mercado para o qual mais enviamos nossas riquezas, é exatamente o mercado que mais cresce, a China.

A soma desses fatos é o que tem provocado a falta de containers e navios, assim como o aumento dos fretes. No mesmo passo, estamos tendo problemas com as reservas de praça, que são as contratações de espaço nos navios para o transporte da carga.

Retornando ao tema proposto, o overbooking foi incorporado pela navegação, aproveitando-se o difícil momento vivido com a falta de espaço. Assim, tem sido comum os armadores contratarem para os seus navios mais cargas do que podem transportar. Também no outro lado temos que levar em conta que sempre há embarcadores que não conseguirão entregar a carga em tempo, e assim se aplicada a lei da vantagem e do aproveitamento total, o que acaba não sendo saudável para nenhuma das partes.

Mas e quando todos entregam suas cargas? Alguém ficará sem espaço. E se isso acontece os embarcadores que tiveram a carga deixada “no chão” terão sérios problemas. Como clausulas de contrato com a outra parte não cumpridas, câmbio contratado e não cumprido, multas, além da possibilidade de perda do cliente frente ao descumprimento de regras básicas estabelecidas em contrato.

Os estragos causados pelo overbooking com cargas permanecendo indevidamente nos terminais, são enormes. A ocupação do espaço indevido poderá prejudicar a logística do terminal, aumentando os custos aos armadores devido aos seus próprios erros. Por sua vez, os armadores que são soberanos as leis de qualquer país no mundo, repassarão estes “prejuízos” aos fretes internacionais, e novamente quem pagará a conta serão os embarcadores.

Precisamos urgentemente fazer com que quem impede os terminais de procederem com suas logísticas internas e planejadas, arque com estes prejuízos, e não os repasse a quem deixou a sua carga pronta e entregou o seu cntr no porto de embarque.

Por Elton Balthazar Menezes.

O preço que se paga

Por um instante, pare tudo o que está fazendo e tente lembrar o que respondia quando lhe faziam a pergunta: “O que você quer ser quando crescer? ”

Permita-se resgatar essas respostas da sua memória, dos seus sonhos mais puros de criança, mas guarde a resposta para uma reflexão ao final do texto.

Quero contar uma história sobre o que eu queria ser quando criança.

Quando era criança, o mundo dos negócios parecia ser um mundo mágico. Executivos de ternos e com pastas, salas e reuniões, almoços e cafés. Recepcionistas educadas e sorridentes. Empresários inteligentes e felizes. Empresas bem-sucedidas e organizadas. Muitas viagens, muitas pessoas, muitas tarefas, muitas metas. Ah, era isso que eu sonhava para mim, era isso que eu queria ser quando crescesse.

Decidi entrar para uma graduação que de alguma forma pudesse me levar até esse tão sonhado mundo. O comércio exterior foi o curso que eu escolhi, o mundo dos negócios estaria logo ali depois daquela esquina e ao meu ver tudo dependia basicamente de mim.

Quando iniciei minha carreira profissional, logo percebi que não seria tão simples e que teria que ralar muito para chegar até esse mundo mágico dos negócios.
E aprendi que nem tudo o que eu quisesse poderia ter sem conhecer as pessoas certas, ter os conhecimentos necessários e as atitudes adequadas.

Estudei, conheci, aprendi, tive atitude, tive medo e passei por poucas e boas, mas perseverei. O sonho era bem maior que o meu medo ou orgulho.

O que ninguém conta é que a partir do momento que tu escolhes o que quer, tudo tem um preço. Ninguém sabe o preço, alguns até imaginam, mas ninguém além de mim mesmo poderia dizer o quanto custaria, o quanto eu pagaria para chegar aonde eu queria.

Hoje eu sei o quanto custou! Quer saber o preço que se paga?

Pagamos na moeda de cotação mais cara: nosso tempo, suor, sacrifício, desconforto físico e mental. Pagamos com as escolhas difíceis entre o que mais amamos no momento e o que sonhamos para uma vida. Pagamos sacrificando ALGUMAS das coisas que mais gostamos!
Não somos nós quem definimos o preço a pagar por cada coisa que queremos. É a vida que precifica. É ela que define o preço e a moeda de troca por cada recompensa.
Nem todos estão prontos para pagar, para abrir mão e por isso nem todos conseguem chegar aonde um dia sonharam estar.

Quando eu era criança, eu sonhava ser um executivo, mas por algum motivo eu não lembrava mais desse sonho. Entre tantas reuniões, salas, empresas e pessoas, eu havia esquecido que um dia eu havia sonhado com tudo aquilo.

Então que em ensolarado dia de visitas, dia perfeito para uma visita importante em um cliente bastante exigente, eu parei ao lado do carro.
Ao lado do carro, me olhando no reflexo do vidro, ajustei meu uniforme, conferi cada detalhe da minha roupa e materiais para reunião e ali, naquele instante eu me dei conta que eu havia me tornado quem eu sempre havia sonhado ser.

Eu achei que havia escolhido o mundo dos negócios, quando, na verdade, os negócios me escolheram! As batalhas e os aprendizados durante o caminho me transformaram em quem eu sonhava ser.

Agora, vem cá! Conseguiu lembrar da resposta para a pergunta?
Então me conta: você é quem sonhou ser?

Tiago Todeschini.

A importância do Conhecimento de Embarque

O conhecimento de embarque é um importante documento emitido pela companhia responsável pelo transporte da mercadoria, onde constam nele informações muito importantes referente a mercadoria, como:

– Nome e endereço do exportador e do importador;
– Local de embarque e desembarque;
– Quantidade, marca e espécie de volumes;
– Tipo de embalagem;
– Descrição da mercadoria e NCM;
– Peso bruto;
– Dimensão e cubagem dos volumes;
– Valor do frete.

O conhecimento de embarque serve como um recibo de entrega da mercadoria para o transportador. E conforme INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1759, DE 13 DE NOVEMBRO DE 2017, sem o Conhecimento de Embarque original, o importador não poderá retirar a carga do Recinto Alfandegado.

A conferência das informações do conhecimento, principalmente em embarque marítimo, onde constam as NCMs é de extrema importância, pois havendo divergência da NCM lançada no Mercante, e a NCM informada para o registro da Declaração de Importação, o registro não ocorrerá até a correção desta informação. A mercadoria sendo urgente para o importador, só será liberada após esta correção.

Por Fernando Marques.

Carga Perigosa – Modal Aéreo

O objetivo desse texto é informar de forma breve as orientações que se aplicam ao transporte aéreo de cargas perigosas. As cargas consideradas perigosas são artigos ou substâncias que, ao serem transportados, podem oferecer um risco à saúde e segurança às pessoas ou/e ao meio ambiente. Os processos de segurança no transporte dessas mercadorias são rigorosos, e devem ser cumpridos e respeitados.

Lembrando que a carga quando transportada no modal aéreo deverá ser classificada de acordo com os limites estabelecidos no manual Dangerous Goods Regulations – DGR. Além disso, a carga perigosa pode ser aceitável ou inaceitável para envio. A lista mais recente de cargas perigosas pode ser encontrada em www.iata.org.

Há nove classificações de cargas perigosas que identificam o tipo de perigo de cada uma. Esses perigos são agrupados em categorias denominadas acessíveis e inacessíveis. A autorização de transporte de cargas perigosas, no entanto, cabe exclusivamente à cia aérea contratada.

Através do documento MSDS (Material Safety Data Sheet), emitido pelo fabricante/exportador da carga a Cia Aérea faz uma análise prévia da mercadoria e se a mesma for considerada perigosa poderá embarcar somente em voos cargueiros.

Por isso, somente com o MSDS e, após análise do armador, é que é aceito o embarque da mercadoria. Além da análise do MSDS, a cia aérea somente aceitará as cargas que estiverem com a embalagem e etiquetas (situação que é de responsabilidade do exportador) dentro das normas da IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo).

Em caso de dúvidas entre em contato com Efficienza uma empresa consolidada no mercado, que disponibiliza de uma equipe de Logística Internacional qualificada e especializada em transportes internacionais.

Por Marieli Depieri De Lima.