Posts

Você sabia que o dia 06/06 é feriado na Coréia? Sim, dia do memorial.

E que no dia 07/06 Feriado em Taiwan, China e Hong Kong? 07 de junho: Dragon Boat’s Day Festival (Festival do Barco-Dragão).

Os feriados no continente asiático influenciam diretamente nas importações de empresas brasileiras. É importante que empresas importadoras que mantenham relações comerciais com a Ásia atentem-se à pagamentos e embarques, evitando atrasos que podem causar problemas no planejamento, visto que podem impactar de uma semana à um mês nas previsões de chagada das carga; no caso do ano novo chinês, que acontece em fevereiro, o recesso dura três semanas.

Tivemos este ano o feriado do Ano Novo Chinês dia 05 de fevereiro, porém as fábricas pararam em 25 de janeiro e só retornaram em 11 de fevereiro, algumas em 18 de fevereiro.
Os transportes internos também aderem aos recessos, consequentemente os navios e aviões cargueiros, que sem carga não saem. Foram inúmeros casos enviados entre 20 de janeiro e 20 de fevereiro, que tiveram suas coletas ou embarques realizados.

Teremos pela frente outro grande feriado, a semana de ouro dia 1º de Outubro, mas as festividades e o recesso no trabalho e escola são de 1º a 7 de outubro.

E então você está organizado com a sua mercadoria? Caso não esteja, consulte-nos que organizamos para você!

Pensando em auxiliar nossos clientes, seguem os principais feriados que teremos nessa metade de 2019 restante e, principalmente, para 2020:

Feriados na China 2019:
* De 7 a 9 de junho: Festival Dragon Boat;
* De 13 a 15 de setembro: Festival Mid-Autumn;
* De 1 a 7 de outubro: Golden Week (o segundo maior feriado chinês, quando é celebrado também o dia nacional.

Calendário de Feriados em 2020:
* De 24 a 30 de janeiro: Ano-novo chinês (Semana de ouro).
* 12 de março: Aniversário de Kuan Yin.
* De 3 a 5 de abril: Festival Qingming.
* De 1º a 3 de maio: Dia do trabalho.
* De 25 a 27 de junho: Festival do Barco do Dragão.
* De 1º a 7 de outubro: Dia Nacional (Semana de ouro).

Fonte: https://www.tuxx.com.br

Por Veronica Simonetti Nery.

Com a crise cambial na Argentina, desde o ano passado, as exportações do Brasil para o país vizinho caíram 42% neste ano (2019). O valor nos dois primeiros meses do ano passado (2018) referente as exportações, era de U$ 2,6 bilhões para 1,5 bilhão no primeiro bimestre de 2019.

Essa crise afeta, principalmente, a exportação de produtos industrializados, o que representa 43,7% das vendas ao país vizinho. Um exemplo seria a queda de 49,8% nas vendas de automóveis para a Argentina no primeiro bimestre de 2019 em relação ao mesmo período de 2018.

As exportações de peças para veículos e tratores, referente ao comércio bilateral, tiveram queda de 38,7%, porém a maior queda percentual de exportações para a Argentina ocorreu com os veículos de carga, diminuindo 64,7%.

Com a crise cambial desde o ano passado, a Argentina enfrenta uma desvalorização de sua moeda, diminuindo sua capacidade de comprarem mercadoria do Brasil. Toda essa crise no país vizinho é gerada pela alta da inflação, o impõe ao governo argentino a tomada de algumas medidas para tentar erguer o país.

A Argentina lançou uma lista de medidas para tentar frear a alta da inflação, e dentre as medidas estão desde acordo com empresas para “congelar” os preços de produtos da cesta básica por pelo menos 6 meses, o não aumento de serviços públicos como gás, telefonia celular, transporte público e o congelamento de preços da energia elétrica residencial até o final de 2019. Os pedágios nas rodovias também entram no pacote de medidas adotadas pelo governo.

Por Fernando Marques.

No sábado, dia 25 de maio, uma carga explodiu e pegou fogo a bordo do navio sul coreano KMTC Hongkong no porto de Laem Chabang, na Tailândia. Segundo o diretor, Yuthana Mokkao, a carga continha hipoclorito de cálcio. O incidente no navio feriu mais de 20 pessoas e mais de 130 pessoas foram para o hospital. As autoridades locais tiveram que evacuar a área. Lendo essa informação, qualquer empresa que importa ou exporta, já pensa na dor de cabeça que um problema desses pode causar.

O seguro de transporte, tanto na exportação, quanto na importação, é fundamental para um acordo mais tranquilo. O seguro de carga não é obrigatório no transporte internacional, mas a importância dele é imensurável para que a sua empresa não se preocupe caso acidentes aconteçam. Com isso, muitas empresas contratam esse tipo de serviço, considerando os termos comerciais internacionais (INCOTERMS), através do qual ficam definidas obrigações e responsabilidades dentro da transação, incluindo a contratação do seguro. O custo do seguro pode variar de acordo com a rota, e os riscos inerentes a ela, como ameaças de roubos ou furtos, características da carga, modal utilizado, preço do bem transportado e amplitude da cobertura do seguro.

A partir de uma avaliação feita por especialistas na área, a Efficienza garante um procedimento tranquilo e sem riscos para os seus clientes.

Por João Vitor Cechinato.

Você sabia que pode consolidar as suas cargas na origem e fazer apenas uma liberação no destino? Isso mesmo, esta é uma das soluções que a Efficienza pode oferecer para você.

A consolidação funciona da seguinte maneira, ao invés de emitir um HBL (House Bill of Lading) / AWB (Airway Bill) para cada compra, você pode juntar cargas de 2, 3, 4 ou mais exportadores e emitir apenas um conhecimento de embarque, englobando todos. Este conhecimento deve especificar todos os itens a serem embarcados, facilitando a logística e reduzindo as burocracias do processo.
A Efficienza conta com uma rede de agentes em todos os continentes. Assim podemos receber as cargas dos seus fornecedores (FOB/FCA), ou coletar na fábrica deles (EXW/FCA). Nossos agentes possuem wharehouses privados, onde podem receber e coletar as cargas, para após fazer a consolidação do CNTR.
Este método vem ganhando bastante espaço como opção dos importadores no Brasil, e para mostrar como a consolidação de cargas é um método eficaz, vamos mostrar a você 3 vantagens deste serviço:

1 – Redução do custo total da importação
“Otimizando” a consolidação de suas cargas na origem, você estará economizando no desembaraço aduaneiro, fiel depositário, Armazenagem, Presença de carga e inspeção não invasiva LCL no porto do Tecon RIG, por exemplo;

2 – Menos Burocracia
Ao consolidar estamos agrupando várias cargas em um só, e isso reflete também na documentação para o embarque;

3. Manuseio prático da carga
As mercadorias consolidadas não são agrupadas apenas na documentação, elas são literalmente agrupadas em um pallet. Isso significa que é mais prático para o é wharehouse manusear a carga e fazer a estufagem. A mesma coisa acontece no porto de destino, na desova e após ova no caminhão para entregar na fábrica do importador.

Se tem alguma dúvida ou informação adicional que necessite, por favor, não hesite em nos contatar. A Equipe de Logística Internacional da Efficienza esta pronta para atender a sua demanda!

Por Elton Balthazar Menezes.

O acidente aéreo da companhia Ethiopian Airlines ocorrido no trajeto Addis Abeba-Nairobi, no qual 157 pessoas morreram no mês de março, acabou gerando consequências para voos em diversas partes do mundo. A China e diversos países por sua vez, determinaram que as companhias aéreas deixem o Boeing 737 Max 8 em terra.

Companhias Aéreas como a American Airlines, que operam fortemente no mercado mundial, acabaram tendo um grande volume de voos cancelados, em virtude da redução do número de aeronaves em circulação devido a boa parte de sua frota contar com modelos Boeing 737 Max 8

Frente a esse cenário, o transporte aéreo internacional de cargas, acaba sofrendo tais efeitos onde mercadorias acabam ficando fora de voos por conta da falta de espaço nas aeronaves comerciais, bem como por redução no número de saídas dos principais aeroportos seja da Ásia ou Europa onde foram estabelecidos cancelamentos de voos com tais modelos de aeronave

Visando esse cenário, o frete internacional teve variações a partir da 2º quinzena do mês de março, e entra em abril instável, podendo ocorrer aumentos nas tarifas para que de fato se consiga um booking que assegure a saída de sua carga na origem

A Efficienza, tendo um setor de logística internacional qualificado pode sanar suas dúvidas quanto a programação de voos bem como vos deixar atualizados quanto a tarifas de frete internacional para que não venha ter surpresas na hora do embarque de sua carga.

Por Maicon Lorandi de Mello.

O porto de Shanghai é um porto público e foi construído em uma ilha, chamada Yangshan, que abrigava uma vila de pescadores. Toda a obra, incluindo a gigantesca ponte de 32 quilômetros de extensão que liga o continente à ilha, ficou pronta em apenas quatro anos. O que mostra a força e o desenvolvimento da China

É um porto de terminais marítimos de águas profundas e fluviais, sendo o porto mais ativo do mundo em toneladas transportadas. Pode ser caracterizado como marítimo ou fluvial, devido ao fato de tanto o Mar da China Oriental e a Baía de Hangzhou quanto os rios Yangtzé e Huangpu serem usados para o aportamento dos navios. Possui 42 cais e os navios que nele atracam, fazem rotas para mais de 300 portos em todo o mundo

Em 2010, ultrapassou o porto de Singapura, que até então levava o título e se tornou o porto mais movimentado do mundo. Em 2016, estabeleceu um recorde histórico ao lidar com mais de 37 milhões de TEUs. Em 2018 manipulou 29,7 milhões TEUs (unidade de medida de capacidade para portos), enquanto o Porto de Singapura ficou meio milhão para trás

Tendo um total de cinco áreas de trabalho, o porto de Shanghai é uma fonte de grande atividade econômica na área do rio Yangtze, que ajudou ainda mais a situação econômica de regiões como Zhejiang, Jiangsu e Henan. Pelo porto de Shanghai entra a maioria dos produtos importados pela China e, naturalmente, saem toneladas de material que a China exporta a todos os países do mundo. É o porto líder na rede de vias navegáveis em forma de T composto pelo rio Yangtse e o litoral, e é também o maior porto da China abrangente e um dos mais importantes acessos do país para o comércio exterior

Para termos uma ideia, Shanghai registra movimento quase 60 vezes maior do que o porto de Itajaí. A diferença entre o porto de Shanghai e os que temos no Brasil é em relação ao tamanho e a capacidade operacional. E também o entorno do porto, a infraestrutura, principalmente os acessos que foram muito bem feitos e reduzem o tempo, os gastos para levar ou retirar o contêiner. A maior diferença não está no porto, mas no entorno da atividade portuária

A Efficienza é especialista no transporte de cargas do porto de Shanghai para o Brasil, e vice/versa. Nos consulte para seus embarques FCL e LCL. Trabalhamos com rotas diretas para os portos de Rio Grande e Itajaí. Temos a certeza que podemos ajudar na sua logística e a reduzir os custos do seu processo! Cote conosco!

Por Elton Balthazar Menezes.

Fontes:
https://gigantesdomundo.blogspot.com/2011/12/o-maior-porto-do-mundo.html
http://portuguese.xinhuanet.com/2017-04/26/c_136236339.htm
https://ndonline.com.br/noticias/infraestrutura-do-porto-de-shanghai-impressiona-integrantes-da-missao-da-fiesc-a-china/
http://portuguese.xinhuanet.com/2017-04/26/c_136236339.htm
https://ndonline.com.br/noticias/infraestrutura-do-porto-de-shanghai-impressiona-integrantes-da-missao-da-fiesc-a-china/



A expressão Follow up é americana e significa acompanhar, essa ação tem sido amplamente utilizada pelas empresas de desenvolvimento organizacional, no sentido de orientar e capacitar os profissionais na realização desse método eficiente no gerenciamento das etapas dos processos organizacionais.

Na pratica quando alguém realiza um follow up, está desejando obter respostas de uma ação realizada ou pré-estabelecida, até mesmo para atuar de forma corretiva, caso algo tenha saído do planejado. Essa ação será fundamental para o sucesso no relacionamento com os clientes, fortalecendo o vínculo e gerando confiança, trazendo oportunidades de novos negócios.

O uso do follow up no relacionamento com o cliente traz vantagens competitivas para o negócio, pois o cliente percebe que o seu processo está sendo monitorado constantemente pela empresa contratada, trazendo segurança e maior confiabilidade.

A execução dessa importante ferramenta deve ser utilizada para agregar valor ao seu produto e empresa. Existem diversas maneiras de realizar o follow up, como por exemplo e-mail, contato telefônico, Skype ou até mesmo pessoalmente.

Podemos afirmar que fazer follow up traz redução de custos através da economia de tempo empregado para correção de erros e ajustes de processos, bem como um importante aliado a geração de confiança da marca

Os setores da Efficienza utilizam o follow up como ferramenta de trabalho com o objetivo de ser cada vez mais assertivo nos processos, garantindo a melhor experiência aos nossos clientes.

Por Joana Deangelis da Silva.

No segundo semestre de 2018 a Efficienza realizou a primeira edição do Programa Effuture, onde 12 estudantes universitários participaram do programa, com duração de 3 meses com aulas teóricas e atividades práticas.

Ao longo desse período os trainees realizaram aulas de Equilíbrio e Harmonia – Espiritualidade e Ética, Excel Básico e Avançado, Comunicação Organizacional, Gestão de Processos, Marketing e Vendas, ministradas por instrutores do Instituto Paideia. No turno contrário realizaram atividades práticas nos setores da empresa, através de job rotation.

Ao término do programa, os trainees que se destacaram foram selecionados para atuar na empresa.

Os destaques que fizeram parte do programa estão trilhando um lindo caminho na Efficienza atuando nos setores Comercial, Exportação, Importação, Logística Internacional e Siscoserv.

Parabéns a todos os envolvidos nesse grande programa.
O Effuture foi um sucesso!

Venha você também fazer parte da nossa equipe. Venha para a Efficienza.
Cadastre seu currículo (http://www.efficienza.com.br/cadastre-seu-curriculo/).

No comércio internacional utilizamos vários termos e abreviações para facilitar a comunicação e as negociações entre as partes. Uma das abreviações que ainda gera muitas dúvidas na logística é LCL. Por isso, vamos explicar neste texto o que é o termo e para que é utilizado

LCL (less than container load) é a modalidade de frete utilizada quando a carga do importador/exportador não tem dimensões e/ou peso suficiente para encher (estufar) um container. Ele fará então o embarque em container consolidado, ou seja, serão estufadas várias cargas no container, de diversas empresas, para que todo o espaço seja aproveitado. Desta forma, cada empresa pagará o frete referente ao espaço que sua carga está ocupando, visto que o mesmo é vendido por tonelada ou peso cubado, o que for maior. As despesas de desova e capatazia (THC) também serão calculados por tonelada ou peso cubado

Essa modalidade de frete é ótima para empresas que possuem importações muito grandes para embarque aéreo, porém não possuem carga suficiente para encher um container. É o melhor custo benefício. Além disso, assim que o container chega no porto de destino, o mesmo é desovado, o que impede os riscos com demurrage.

Você está em dúvida se pode embarcar sua carga em container consolidado? Entre em contato com nosso setor de logística. Eles poderão lhe ajudar a escolher a melhor opção e com menor custo.

Por Natália Schiavenin.

Implantado a pouco tempo no Brasil a ATA Carnet tem por objetivo suspender os impostos sobre a permanência de mercadorias / equipamentos temporários.
As empresas ainda não conhecem muito bem esta modalidade, pois menos de 20% utilizam a ATA Carnet para exportação / importação temporária, deixando assim de participar de feiras, exposições, congressos e envio de amostras comerciais

A CNI (Rede Brasileira de Centros Internacionais de Negócios) é a entidade credenciada junto à Receita Federal para emitir o documento ATA Carnet.
A empresa pode, através de um documento, a ATA Carnet, entrar com suas mercadorias em mais de 70 países durante 01 ano.
A intenção de criar a ATA Carnet, foi de diminuir a burocracia na aduana de saída e entrada da mercadoria, pois o documento reúne todas as informações necessárias, tornando os trâmites aduaneiros mais rápidos, podendo ser usado para pessoa física ou jurídica.

O Brasil foi o primeiro país do Mercosul a utilizar o documento, que funciona como uma espécie de passaporte de mercadorias.
Vale ressaltar que mercadorias perecíveis (alimentos) e máquinas e equipamentos que passarão por reforma/manutenção, entre outros, não podem utilizar a ATA Carnet.
Para a emissão da ATA Carnet, a empresa precisa informar os países de destino para onde a mercadoria irá, com isso, será emitido um documento em duas vias para apresentação em cada alfândega visitada e para apresentação à alfândega de retorno ao país de origem.

Por Fernando Marques.