Posts

Logística Internacional e sua importância para as empresas brasileiras.

A Logística Internacional tem grande importância para a eficiência das exportações brasileiras e para o crescimento de relações entre os países, fornecendo aos clientes externos suporte para cuidar de todas as etapas do processo. Desde o desembaraço aduaneiro à entrega final das mercadorias, o objetivo é centralizar as operações, padronizando os atendimentos, minimizando erros e fazendo com que a percepção do cliente seja a sua satisfação com o produto, nível de qualidade, preços, serviços justos e valor agregado.

Sendo assim, para se alcançar mercados competitivos, globalizados e atraentes é muito importante investir em uma logística internacional adequada e organizada, para possibilitar a obtenção dos resultados desejados. Muitas empresas estão descobrindo esta ferramenta como uma prática competitiva, dando ao cliente a oportunidade de receber o produto certo, na quantidade desejada, qualidade estabelecida e no tempo contratado.

Com a globalização, os mercados estão ainda mais competitivos e com mudanças que vão ocorrendo cada vez mais rápida, obrigando as empresas procurarem maneiras que possibilitem a sua sobrevivência, umas destas maneiras é a aplicação da logística internacional.

Fundamentalmente, a logística internacional tornou-se inevitável para a condução dos processos de exportação, atrelando qualidade ao atendimento, valores competitivos, eficiência e eficácia, para que prazos sejam atendidos e práticas corretas sejam adotadas. O bom desenvolvimento da logística internacional influi no crescimento das empresas, gerando uma supremacia duradoura em relação à concorrência e obtendo a preferência dos clientes.

A Efficienza conta com um departamento especializado em logística internacional que poderá lhe atender e assessorar seus processos com excelente qualidade, garantindo bons valores e acompanhando durante todo o processo.

Por Murilo Bernardi.

Transporte Internacional por Courier

O transporte internacional feito por courier (traduzido ao pé da letra por “correio”) é
um envio expresso de mercadorias, englobando também documentos. O grande diferencial do serviço é o tempo de entrega – sendo bastante ágil – e também o preço,
que acarreta em uma economia para os clientes em muitos dos casos.

Algumas empresas de transporte que atuam com este tipo de serviço, são: DHL, Fedex, TNT, UPS e o rastreio do courier é feito em tempo real.

O envio de courier pode ser formal, acarretando no pagamento do imposto de importação repassado para a própria empresa responsável pelo transporte, e realizado diretamente à SRF (Secretaria da Receita Federal). Nesta modalidade não existem exceções nas tributações. Todos os produtos, independente de sua natureza, são tributáveis. Também estão inclusas taxas de ICMS e desembaraço da mercadoria.

No envio dito “normal”, as cargas transportadas são do tipo amostras, não tendo valor comercial.

O processo de envio é bastante simples e para a realização de cotações necessita-se apenas do ZIP CODE de destino (no caso de exportações) ou de origem (em importações); peso bruto dos volumes e suas dimensões.

Se lhe restar alguma dúvida ou se você necessitar de mais algum esclarecimento a respeito deste tipo de transporte, não exite em consultar-nos pelo e-mail logistica@efficienza.com.br ou telefone (54) 2101-1400.

Por Murilo Bernardi.

Decisão do Modal no Transporte Internacional de Cargas

Com a chegada do final do ano é mais importante ainda saber definir a melhor escolha da modalidade de transporte da sua carga para sua importação ou exportação para que não ocorram atrasos ou imprevistos.

A logística internacional é fundamental para qualquer empresa internacionalizada e deve ser bem organizada. A preocupação com o processo começa desde sua origem.

Dentre os principais modais de transporte, suas diferenças não se restringem apenas no modo como o produto é transportado. Há a incidência de taxas diferentes e os serviços de logística variam de acordo com o investimento da empresa.

Você não precisa ser um especialista na área, porém ter um conhecimento básico sobre o assunto é necessário. Abaixo ressaltamos alguns pontos importantes que devem ser considerados para a escolha da melhor modalidade:

Meio de transporte terrestre:

O transporte por caminhões torna-se viável para empresas que não possuem carga valiosa. Na hora de decidir por este meio também é necessário levar em conta o destino final.

Muitos produtos chegam ao Brasil pelos principais portos e aeroportos e seguem rumo ao seu destino, porém a caminhada pode ser longa e nem sempre as rodovias estão preparadas, principalmente se o produto for entregue em regiões mais afastadas. Além da estrutura, é preciso ainda verificar a segurança dessa rota que será feita pelo caminhão.

Meio de transporte aéreo:

Num mundo cada vez mais globalizado, os aviões são ainda a grande ferramenta para quem quer importar de forma rápida e mais segura. Esta opção é bastante considerada como facilitadora do comércio internacional, agilizando o processo de entrega e aumentando a circulação de mercadorias.

Produtos de alto valor, com urgência na entrega ou até mesmo os pequenos objetos são os mais indicados para este sistema de importação. Ao contrário do que se imagina, os custos via transporte aéreo estão mais acessíveis do que no passado.

Meio de transporte marítimo:

Apesar da facilidade que o avião traz para os negócios internacionais, o transporte marítimo também é muito eficaz. Apesar do tempo de navegação, o cargueiro pode atravessar o oceano de um lado para outro sem muitos problemas. Este meio de transporte chega em regiões que nem sequer possuem estrutura para receber aviões ou mesmo um transporte terrestre.

O produto que você está importando também define qual o melhor tipo de transporte que ele pode chegar de forma mais segura, sem colocar em risco a qualidade e a integridade daquilo que se está importando.

Vale lembrar que além da parte de logística, o meio de transporte da carga, é preciso reforçar que existe a parte burocrática que envolve a alfândega. O governo cobra uma taxa de produtos que são exportados e importados.

Apesar de toda a sistematização da logística nos séculos passados, a tecnologia tem permitido cada vez mais o aprimoramento deste setor tão importante para e economia mundial. Hoje, as empresas podem escolher o melhor meio de transporte, encontram algumas facilidades que até então não estavam disponíveis e podem ainda acompanhar todo o processo de transporte de forma simples e tranquila, por meio de rastreamento, como qualquer consumidor pode fazer ao comprar um produto e esperar pela entrega.

Autor: Murilo Bernardi.

Mercadorias perigosas e Ficha de Segurança – MSDS

As mercadorias perigosas são produtos ou materiais com itens perigosos. Se eles não estão devidamente armazenados, controlados ou transportados, eles podem se tornar um perigo potencial para a saúde humana e segurança, infraestrutura e os meios de transporte. Portanto, mercadorias perigosas exigem segurança especial em manuseio e transporte e na maioria das vezes estão sujeitas a regulamentos químicos.

O transporte de mercadorias perigosas é controlado por várias autoridades reguladoras. Algumas das estruturas mais comuns para o transporte de cargas perigosas incluem: as Recomendações das Nações Unidas sobre o Transporte de Mercadorias Perigosas; o Código Marítimo Internacional de Mercadorias Perigosas – IMO; Regulamento de Mercadorias Perigosas – IATA; e Instruções Técnicas – ICAOs. São estas autoridades que definem requisitos sobre como mercadorias perigosas devem ser manuseadas, embaladas, etiquetadas e transportadas.

A fim de garantir a segurança e proteção do ambiente, as operadoras devem examinar cada questão do transporte destas mercadorias, caso-a-caso, para o cumprimento dos regulamentos legais. Se o produto cumpre todos os requisitos de segurança e ambientais, então ele poderá ter o aceite por parte das transportadoras para ser colocado a bordo do navio.

Em todos os embarques que a carga for considerada perigosa, as companhias solicitarão documentos específicos sobre a carga. Um deles é a Ficha de Segurança, que é conhecida como MSDS. Esta ficha de dados deve conter informações completas sobre o produto que está sendo enviado. A MSDS é muito importante para as companhias considerarem a aceitação do produto no navio. Ela basicamente fornece as instruções e os requisitos completos para manuseio desta carga perigosa e deve ser elaborada pelo fabricante do produto por possuir informações completas sobre o mesmo.

A Ficha de Segurança MSDS destina-se a proporcionar aos trabalhadores e pessoal de emergência com procedimentos para lidar ou trabalhar com substâncias perigosas de forma segura, e inclui informações como dados físicos (ponto de fusão, ponto de fulgor, ponto de ebulição, etc.), eliminação, toxicidade, reatividade, efeitos sobre a saúde, primeiros socorros, equipamento de proteção, procedimentos de manuseio e derramamento. A maioria dos países desenvolvidos têm regulamentos e exigências semelhantes, no entanto, formatos de MSDS podem variar de fonte para fonte dentro de um país, dependendo dos requisitos nacionais.

No passado, e ainda hoje, as companhias estão enfrentando as consequências de materiais perigosos não devidamente controlados e/ou manipulados em seus navios e acabam pagando preços elevados para controlar este tipo de ocorrência.

Por Murilo Bernardi.

Algumas dúvidas relacionadas aos Armadores

Atualmente, muitas dúvidas ainda permeiam o comércio internacional, dentre elas, os serviços prestados pelos armadores. Abaixo, resumimos as principais informações de forma clara e sucinta sobre estas questões.

Os armadores são os responsáveis pelo transporte marítimo das mercadorias. Estes, podem ser proprietários dos navios e dos containers utilizados, como também podem ser empresas que possuem concessões de utilização de navios e containers a terceiros.

Todo armador possui uma nacionalidade – uma bandeira – que depende do país onde está sediada a matriz. A bandeira é importante quando os países exigem transporte por bandeiras (nacionalidade dos armadores). Isso ocorre em situações específicas.

Já o registro do navio pode ser diferente do registro do armador. Assim sendo, o navio poderá estar registrado em outro país, por motivos diferentes, dentre um deles, a conveniência para efeito de pagamentos de impostos sobre a sua propriedade.

No Brasil, a grande maioria dos armadores que operam são do exterior, ou seja, a maioria das frotas são de navios de bandeira estrangeira, que trabalham em diversas rotas internacionais. Atualmente, os maiores armadores que operam internacionalmente e que também possuem uma presença forte no mercado brasileiro e com elevado volume de cargas são: Maersk Line (Dinamarquesa), a MSC (Italiana), a CMA CGM (Francesa), e a Aliança-Hamburg SUD (Alemã).

Dentro do comércio internacional, o armador é uma figura de extrema relevância. São fundamentais para o desenvolvimento do comércio mundial, atraindo investimentos, com a criação de novas rotas comerciais e instalação de diversos serviços portuários. Também geram divisas importantes para os países onde operam e contribuem para o seu respectivo crescimento. A escolha do melhor armador é crucial para as empresas, pois devem ser levados em consideração não apenas os valores, mas também a qualidade do serviço oferecido para que não sejam gerados atrasos inesperados e/ou danos às cargas.

Por Marieli Delpieri de Lima e Murilo Bernardi.

Embarques Marítimos e suas variações de cargas

No transporte de cargas marítimo, são utilizados containers padronizados. Os de 20 ou 40 pés são os mais comuns. Acomodam, respectivamente, 30 m³ ou 20 tons e 60 m³ ou 25 tons, no máximo.

Um container FCL (full container load) é utilizado por aqueles que têm uma grande quantidade de produtos para enviar. Se você tem mercadorias frágeis – como máquinas, por exemplo -, este pode ser um fator decisivo a favor dos embarques FCL. Além disso, seus bens serão todos entregues juntos, prontos para ser desembalados ou rapidamente transferidos para um caminhão ou trem até o seu destino final.

Já o container LCL (less container load), é um container não totalmente carregado. Nos embarques LCL, você paga para sua carga ser enviada com uma ou demais cargas de outros clientes utilizando o mesmo serviço do armador. Se você sabe que suas mercadorias não preenchem um container de 20 pés, o embarque LCL é a opção mais prudente em termos de custos e conveniência. Além disso, ao utilizar os serviços de transporte LCL, você não precisa se preocupar com o retorno do container após a desova justamente por ele ser compartilhado por outras empresas.

As cargas contidas nos containers podem ser as seguintes:

1) Carga geral

É a carga embarcada e transportada com acondicionamento (embalagem de transporte ou unitização), com marca de identificação e contagem de unidades.

2) Carga frigorificada

É a carga que necessita ser refrigerada ou congelada para conservar as qualidades essenciais do produto durante o transporte, tais como frutas frescas, carnes, etc.

3) Carga perigosa

É a carga que, em virtude de sua natureza, pode provocar acidentes, danificando outras cargas ou os meios de transporte e colocando em risco as pessoas que a manipulam. As Recomendações para o Transporte de Produtos Perigosos das Nações Unidas, com base no tipo de risco que apresentam, dividem esse tipo de carga nas seguintes classes: explosivos, gases, líquidos inflamáveis, sólidos inflamáveis e semelhantes, substâncias oxidantes e peróxidos orgânicos, substâncias tóxicas (venenosas) e substâncias infectantes, materiais radioativos, corrosivos e variedades de substâncias perigosas diversas.

Frisamos a importância da escolha do tipo de container para que o seu embarque ocorra com sucesso, não gerando atrasos ou valores mais altos do que o previsto.

Por Murilo Bernardi.